Volta às Aulas na Rede Estadual: Governador marca volta as aulas sem saber se vai ter vacina a disposição



O ano letivo de 2021, no Paraná, vai ter início no dia 18 de fevereiro. Pelo menos foi o que garantiu o governador, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), em coletiva de imprensa, no Palácio Iguaçu, que contou com a presença do ministro da educação, Milton Ribeiro, e do secretário da educação, Renato Feder (que anda destruindo o processo educacional e tirando o sono dos profissionais da educação com a extinção dos postos de trabalhos em todo o estado).  

No anuncio da volta as aulas, o governado do Paraná pensa que já venceu a pandemia, sendo que, até o momento, não foi anunciada, para a sociedade, a vacina contra o coronavírus.  

A atitude poderá acarretar em mortes de professores e alunos. A circulação será constante nas escolas paranaenses e, o vírus letal, poderá ser contraído e repassado a todos, trazendo mortes e desesperos para a maioria das famílias do Paraná. 

Já que os professores e os alunos vão ser obrigados a voltar as salas de aulas, da mesma forma, os nobres deputados, que compõem a Assembleia Legislativa; a casa que tem a obrigação de fiscalizar as ações do governo do estado, deveriam estar trabalhando de forma presencial e não remotamente, dando exemplo e mostrando para a sociedade que o coronavirus já foi vencido. Infelizmente, desde o mês de março, a casa do povo está fechada. 

A algumas semanas, o deputado estadual Homero Marchese (PROS) numa rede social, disse que o pessoal do magistério está ganhando sem trabalhar. Declaração injusta e infeliz.   

O que ele entende de trabalho na área de ensino? Será que ele fez a publicação com o objetivo de atacar o prefeito de Maringá? 

O deputado, que se elegeu em 2018, anda dizendo besteira e deveria pelo menos conhecer o dia a dia de uma profissional da educação, a não ser que sua esposa seja da área, aí o parlamentar fala com conhecimento de causa. Pelo contrário, deveria se calar e não ficar dizendo besteira.  

Porque tanto ódio, que a classe dominante tem dos profissionais da educação?  Será porque uma educação com formação adequada pode libertar o cidadão da ignorância? 

Por outro lado, o deputado estadual Homero Marchese(PROS) deveria, pelo menos, vir a público e mostrar a sua produção como representante do povo do Paraná.  

Afinal, não foi eleito para ser mais um vereador de Maringá, com um salário alto, atacando o prefeito Ulisses Maia (PSD).  

Pelo menos, é dessa maneira que se comporta. Quer ter o direito de criticar o prefeito de Maringá, renuncie o cargo de deputado e volte a ser vereador e não fique fazendo demagogia.   

Por enquanto, o deputado Homero Marquese(PROS) não trouxe nada que possa contribuir com a cidade e nem com o Paraná.   

Quais foram os projetos apresentados na Assembleia Legislativa do Paraná?   

Quantas emendas foram apresentadas e trazidas para Maringá?  

Um zero à esquerda, que usa as redes sociais para fazer politicagem, atacando quem não concorda com a sua maneira de agir. Vale lembrar que esse é a favor da volta as aulas presenciais ao quanto antes. Um genocida.

Compartilhar por Whatsapp

About Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :