Ratinho Junior e Renato Feder sofrem mais uma derrota

  

Sem sombra de dúvida, a APP-Sindicato começa a colocar o governador, Carlos Massa Ratinho Junior, e seu Secretário da Educação, Renato Feder, em seu devido lugar.   

  

A derrota judicial impetrada pelo sindicato dos professores, diretores e funcionários do Estado do Paraná, através dos Autos n° 003277-53.2020.8.16.0179, mostra que a atitude da Secretária da Educação, via Núcleos Regionais, com o intuito de afastar os diretores das escolas, eleitos democraticamente, foi ilegal e arbitrária. Eles não poderiam tomar essa atitude, sem consentimento da Comunidade Escolar, representada pelo conselho escolar, que é o órgão máximo em cada instituição de ensino.  

  

O governo do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, está demostrando a educação que teve durante a sua vida, não aprendeu a valorizar os conhecimentos adquiridos no ambiente escolar, ja que demonstra despreparo para o diálogo.   

  

Durante o tempo em que era estudante, mesmo tendo toda a condição para estudar no Ensino privado, concluiu o Ensino Médio na escola pública, não no Ensino regular, como imaginávamos, mas na modalidade EJA, educação de Jovens e Adultos, no Ceebja Paulo Freire, que é destinado aos que, por motivo de trabalho e falta de oportunidade não conseguiram estudar no tempo correto. Não sabemos se o governador tinha dificuldades em aprender ou falta de vontade, mas algo está claro: despreza a educação e os educadores, ja que quer acabar com a educação pública e entrega-lo para o setor privado. Prova disso são as licitações que abriu para privatizar a função dos Agentes I e II, bem como a privatização de alguns cursos profissionalizantes.  

  

Sucatear e desvalorizar o que é público parece ser o caminho para a privatização.   

  

Dessa forma, o órgão governamental vai destilando o veneno e ódio contra os educadores, jogando a população contra os professores.   

  

O atual governador e seu secretário, Renato Feder, estão agindo com a finalidade de acabar com o setor educacional no estado.   

  

Atitudes antidemocráticas como as demostradas no Paraná, eram usadas durante o período da ditadura militar (de 1964 a 1985) e tinham a finalidade de perseguir e calar aqueles que questionavam, denunciavam as atrocidades que aconteciam nos porões da ditadura militar no brasil, se colocando contra quem estava no poder. Foi um dos períodos mais sangrentos do Brasil.  

  

Várias pessoas foram torturadas e até mesmo assassinadas.  Entre elas, políticos de oposição, artistas e até as igrejas eram atacadas.  

  

Diante dessas atitudes, cabe lembrar que quando Carlos Massa Ratinho Junior era deputado estadual, dizia reconhecer que o professor merecia ser valorizado, mas ao assumir o cargo de governador, tem demostrado ser o pior gestor para a categoria.   

  

Um mentiroso e traidor, que roubou as expectativas dos professores que confiaram e votaram na figura para governador.  

     

Aliado do governo federal, o Paraná está servindo de laboratório de uma política injusta e da desvalorização no que diz respeito a educação, passando por cima dos direitos garantidos pela constituição federal de 1988.  

  

Daqui a dois anos, vai ter uma nova eleição e será a hora dos educadores paranaenses dar o troco. 

 

 

Compartilhar por Whatsapp

About Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :