Dia D – Diretores de escolas paranaenses esperam demissão em todo o Paraná

Presente de Natal de um secretário Tirano 


Renato Feder, o Secretário tirano na educação pública.


O dia de hoje deve ser de espera, para parte dos diretores das escolas paranaenses, que não aceitaram assediar os professores das escolas do Paraná, e estão na corda bamba, por não fazer o jogo sujo do secretário de educação, Renato Feder. 

Vale lembrar que assediar funcionários é um crime previsto no código Penal. O assédio moral não tem sido tolerado pelo judiciário. Nos últimos anos, a corte recebeu diversos casos de abusos cometidos, por agentes do estado, contra colegas de trabalho, subordinados. 

O projeto se liga, que tem o objetivo de oportunizar os alunos que não obtiveram notas  durante o ano, obter a média necessária, por meio de atividades avaliativas. Isso não o qualifica a passar de ano, já que teve o ano todo para realizar as atividades e avaliações e não as fez. Isso desqualifica a educação e deixa os alunos mal acostumados, acreditando sempre no "jeitinho". 

Esse ano, foi um ano atípico, mas a prática do Projeto "Se liga" já vem do ano passado, onde muitos alunos foram aprovados sem ter o empenho exigido durante o ano todo. Nos parece premiação para os alunos tidos como descompromissada e desinteressados.

 Não está claro, mas parece que a finalidade desse projeto  seria aumentar o IDEB, sendo mais uma forma de assediar quem está à frente das escolas, impondo ações que contradizem o processo de ensino e aprendizagem.  

Os diretores foram dispensados, até agora, por conta da falta de adesão nas aulas a distância, sendo essa a desculpa, justificando que a instituição de educação não atingiu as metas, como se as escolas estaduais fosse uma empresa privada e que os profissionais são obrigados a atingir uma meta a qualquer custo.  

O estado está transferindo a responsabilidade de uma estratégia que não funcionou. Culpa do Secretário de Educação, Renato Feder, que deseja abarrotar os cofres, para apoiar as instituições  educacionais privadas.  

Os Núcleos Regionais, espalhados por todo o estado, também tem a sua parcela de culpa, eles recebem ordem da SEED para cometer as atrocidades contra os diretores.  

E quem vai assumir esses cargos? Com certeza, são pessoas apontadas pelo governo Carlos Massa Ratinho Junior e por Renato Feder, o empresário que estão destruindo a educação no Paraná.  

Atitude como essa, vem deixando os diretores e professores do estado, revoltados com o processo adotado para avaliar toda uma classe de trabalhadores. Com único objetivo, o de fraudar o IDEB. 

Na reeleição para governador do Paraná, os educadores poderão estar na frente de oposição denunciando as práticas antidemocráticas dessa turma que só pensa em valorizar a classe empresarial, esquecendo do básico e do que é público.

Compartilhar por Whatsapp

About Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :