Procon orienta sobre compras durante Black Friday


 

O Procon de Maringá orienta consumidores sobre procedimentos para compras no comércio das lojas físicas e online durante a Black Friday. A tradicional promoção mundial ocorre na última sexta-feira de novembro. Mas algumas lojas costumam antecipar os descontos para aproveitar o apelo comercial. No centro de Maringá já é possível ver cartazes sobre a Black Friday nas lojas.

"As pessoas devem pesquisar agora os preços dos produtos pretendidos e conferir se realmente estão em liquidação", alerta o diretor do Procon, Geison Ferdinandi. Ele acrescenta que as compras por impulso e sem pesquisa podem significar prejuízos, com o consumidor adquirindo produtos com ofertas maquiadas.

O Procon observa que, para  evitar golpes, fraudes e propaganda enganosa, os consumidores devem ficar alertas. Os preços devem estar visíveis ao lado ou fixados nos produtos. Sempre em moeda nacional (Real - R$). Também serem claros os valores à vista. Em caso de parcelamento ou financiamento, devem estar claras quantas parcelas são e qual será o valor total no final do parcelamento. Além de incluir valor dos juros cobrados. Todos esses avisos devem ser em letras legíveis e nunca em letras minúsculas dificultando a leitura. 

Outros problemas enfrentados pelos consumidores durante essas promoções são garantia e prazo de trocas. Por isso, o cliente deve sempre perguntar como funciona a troca de produtos na loja e qual é a garantia que ele tem. Também ficar atento se a mercadoria ofertada é peça de mostruário. O que pode ter defeitos por estar há muito tempo em exposição e até mesmo funcionando - no caso de aparelho eletrônico. 

Tomados os cuidados sobre valores, prazos, pagamentos, garantias e trocas, o consumidor deve exigir que o tempo de entrega esteja especificado na nota fiscal. 

PREVENÇÃO - As lojas físicas devem anunciar os horários de atendimento e manter toda a prevenção contra o coronavírus. Como disponibilizar álcool em gel para funcionários e clientes, exigir o uso de máscaras de proteção, organizar distanciamento nos departamentos e filas e evitar aglomerações. 

Sobre o comércio online, entre as dicas do Procon está a análise sobre a segurança do site. Para isso, observar na barra de endereço se o site tem https:// que indica navegação segura. E também o usuário deve ter programa antivírus em seu equipamento para evitar problemas. Feita a pesquisa, é importante dar prints nas páginas dos sites ou nos emails trocados com as lojas. 

O Procon de Maringá recebe denúncias de irregularidades no comércio pelos telefones 151 ou 3293-8150. E também circula pelas ruas da cidade com o Procon Móvel verificando denúncias.
Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :