PSSs e APP-PR vão denunciar secretário da educação e governador no Ministério Público


Nesse momento, professores PSS estão concentrados em Curitiba, para a manifestação contra a militarização das 200 escolas em todo o estado do Paraná.  

De forma pacifica, os educadores pretendem chamar a atenção das autoridades e denunciar o secretário de educação, Renato Feder, e mais o governador Carlos Massa Ratinho Junior, por empurrar goela abaixo da sociedade a ideia de militarizar o ensino no Paraná, sem uma ampla discussão, das vantagens e desvantagens. 

A atitude do órgão governamental, fez com que o deputado Tadeu Veneri (PT) encaminhasse uma denúncia ao judiciário. Serão 215 escolas que o projeto  será implantado,  sem as devidas discussões com a sociedade.  “A atitude é desrespeito com os paranaenses” - aponta o parlamentar. 

Nos argumentos defendidos pelos professores, os policiais não estão preparados em assumir a educação, mesmo que seja em um colégio militar. “Há um desvio de função, os soldados estão preparados para a segurança pública e não para a educação. Já pensou os professores assumirem a área de segurança pública do estado?” 

O fim da prova do PSS, também está em pauta.Os professores não são contrários aos testes seletivos, mas já que vai ter um teste de conhecimento, seria o certo, abrir um concurso e efetivar quem passar nas provas. 

Por outro lado, a secretária de educação defende a aplicação do teste seletivo, com o argumento que tem professor que não dominar a matéria que ensina.

Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :