Docentes da Unespar repudia processo seletivo para contratação de professor PSS



                                    NOTA DE REPÚDIO


Os docentes efetivos da Unespar/Campus União da Vitória, que compõem as bancas examinadores do Processo Seletivo Simplificado-PSS (Edital 001/2020-CPPS/Unespar), repudiam veementemente o formato dos instrumentos de avaliação definidos em reunião da CPPS (Comissão Permanente de Processo Seletivo) com os Diretores de Centro dos sete campi da Unespar para o referido processo seletivo.

Estamos em uma situação atípica devido à pandemia causada pelo coronavirus SARS-COV2 que, embora todos estejamos em isolamento social, estamos com sobrecarga de atividades didáticas e administrativas. Todos tivemos que aprender a trabalhar de modo remoto praticamente sem orientação quanto a este novo modo de trabalho. Além disso, toda esta estrutura de trabalho remoto está saindo às expensas do servidor público: computador, internet com boa velocidade e energia elétrica. Também não podemos deixar de computar o estresse emocional que esta situação atípica tem gerado em todos os servidores, mas, principalmente, aos docentes que formam o elo da Unespar com o corpo discente.

Era de se esperar que um processo seletivo totalmente online levasse a um elevado número de inscritos, devido à alta taxa de desemprego atual, à ausência de concursos públicos e a recessão econômica que estamos passando. Vários cursos não estão enfrentando este problema devido à especificidade da área. No entanto, outros estão com até 50, 60 ou 70 candidatos inscritos.

Além disso, a prova escrita será sorteada e cada candidato terá aproximadamente 40 (quarenta) horas para realiza-la sem qualquer supervisão da banca avaliadora. Os candidatos poderão consultar as mais variadas fontes e terão muito tempo para elaborarem suas provas. Portanto, as provas enviadas pelos candidatos, estarão muito niveladas e será muito difícil a correção e a classificação (ou eliminação) utilizando este instrumento de avaliação. Em nosso entendimento, esta prova perde completamente sua função em avaliarmos algumas habilidades dos candidatos.

Já para a prova didática, que será o mesmo tema sorteado para a prova escrita, cada candidato terá 24 (vinte e quatro) dias para se preparar. Do ponto de vista didático-pedagógico também será muito difícil a avaliação por parte das bancas.

Soma-se a tudo acima citado, as várias semanas que nós, membros das bancas, teremos que dispensar às correções das provas escritas e para assistirmos às provas didáticas online ao vivo, que coincidirá com o período de encerramento do semestre letivo das atividades didáticas em nossos respectivos cursos.


Portanto, é inadmissível terem decido, de modo unilateral, pela manutenção da prova escrita no referido PSS, já que estamos em uma situação atípica e seriam os docentes dos colegiados a fazerem parte das bancas avaliadoras. Poderiam ter solicitado 48 horas para a resposta e neste prazo terem consultado seus coordenadores e docentes. Deveríamos ter sido consultados.

Em respeito aos vários professores colaboradores que fazem parte de nossos colegiados de curso e que farão este processo seletivo para um novo contrato de trabalho e aos nossos estudantes, não vamos nos furtar em executar essa exaustiva tarefa em avaliar os candidatos, mas queremos deixar registrado nosso mais profundo repúdio ao modo unilateral com o qual foram conduzidas as decisões.

Assinam este documento os docentes efetivos do Campus de União da Vitória e que fazem parte das bancas avaliadoras do PSS/2020 (Edital 001/2020 – CPPS/Unespar).

Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :