Audilene aposta em engodo eleitoral




A  coronel Audilene, canditada a prefeitura de Maringá, pelo PP (Progressistas de Ricardo Barros) não se sabe orientada por quem, vem agora com uma proposta que parece ser enganação. A mulher já foi aponta pelo bruxo Chick Jeitoso, como a vencedora da eleição em Maringá. 

Ela sob a janela de "acolhedora" propõe -para buscar votos dos desesperados- o pagamaneto de um auxílio emergencial perene. Porém isso caso o presidente Bolsonaro não dê continuidade ao programa.

Bolsonaro manterá até o final do ano essa ajuda aos brasileiros, sob o nome de "Auxílio Emergencial", depois, em 2021, esse auxílio continuará, por Lei Federal, sob o nome de "Renda Brasil". Portanto Audilene aposta numa proposta vislumbrando que o presidente Bolsonaro não cumprirá com sua programação de auxílio aos brasileiros.

Audilene lê e fala sob a cartilha de Ricardo Barros e ela sabe que Bolsonaro cumprirá sua palavra. Ela não pode e nem deve duvidar disso.

Além disso há a condição legal. Ela não dará esse auxílio (caso seja eleita) com recursos próprios. Deverá utilizar de dinheiro público do Município. E, para isso, não depende somente dela (mesmo que eleita prefeita). Precisa de uma aprovação de Lei na Câmara Municipal.

Quando há aprovação de Lei Orçamentária em um ano (no caso em 2021) ela somente poderá entrar em vigência no ano seguinte (2022). Tá Nesta proposta desesperada, alguém está "fora da casinha". De onde esse dinheiro sair, fará falta em outras dotações.

Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :