Decotelli apresenta carta de demissão e não será ministro da Educação


O professor e economista Carlos Alberto Decotelli apresentou nesta terça-feira, 30, ao presidente Jair Bolsonaro sua carta de demissão, de acordo com o jornal Folha de São Paulo e outros veículos.

Assim, ele deixa o cargo mesmo antes de tomar posse e menos de uma semana após ter sido anunciado para o Ministério da Educação (MEC).

O nome de Decotelli já havia sido oficializado e publicado no Diário Oficial da União, mas a posse, que estava marcada para esta terça-feira, foi adiada.

O adiamento aconteceu na segunda-feira, 29, em meio às divergências no currículo acadêmico de Decotelli, que teve o doutorado e o pós-doutorado questionados e foi acusado de plágio no mestrado.

Após o dia tumultuado, Decotelli chegou a sair de uma reunião com Bolsonaro na noite de ontem dizendo que estava confirmado como ministro. Bolsonaro também afirmou em suas redes sociais que manteria sua nomeação.

A gota d’água para o presidente teria vindo após mais um anúncio, nesta manhã, de que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) não reconhece Decotelli como professor oficialmente, dizendo que ele lecionou apenas em cursos extras e programas de formação de executivos. A FGV vinha sendo pressionada a se posicionar por não ter identificado as divergências no histórico acadêmico de Decotelli antes que ele lecionasse na universidade.

Divergências no currículo

Na segunda-feira, o dia foi marcado por debate acerca do pós-doutorado de Decotelli na Universidade de Wuppertal, na Alemanha. A instituição alemã disse em nota que Decotelli passou três meses fazendo pesquisa com uma professora da instituição, mas não reconheceu necessariamente o período como pós-doutorado.

O pós-doutorado não é uma titulação oficial concedida por uma universidade, mas, depois das controvérsias, Decotelli retirou o pós-doutorado de seu currículo. O próprio doutorado do economista já havia sido questionado na semana passada pela Universidade de Rosário, na Argentina, que disse que sua tese não foi aprovada — o que também inviabilizaria contar o tempo na Alemanha como pós-doutorado. Seu mestrado, na FGV, foi ainda acusado de ter textos plagiados.


Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :