Alerta - Distribuição de aulas na rede estadual do Paraná preocupa docentes

“Mais uma vez, sem debate, o Estado desrespeita a Lei, passa por cima da resolução 4527/2011, e condena a escolas a terem seu porte rebaixado, reduz diretores e equipe pedagógica, trazendo grande prejuízo aos alunos paranaenses.”


As escolas públicas paranaenses encerram o ano letivo nos próximos dias, mas já começam os preparativos para 2020. A Secretaria de Educação já anunciou que fechará turmas do ensino médio noturno, o que vai aumentar o número de alunos migrando para o período diurno. Este excesso de matrículas não é nada promissor, pois as salas de aula devem ficar superlotadas. 

“Na ânsia por reduzir gastos, a Secretaria teve a brilhante ideia de colocar mais alunos em cada turma. Já pensou nas consequências disso? Nossos educadores estão desmotivados, sem reposição salarial, aposentadoria comprometida e agora terão que administrar uma sala de aula com o triplo de alunos! Como fica a qualidade de ensino?”, questionou o deputado Requião Filho. 

Segundo denúncias recebidas, os professores estão preocupados com as determinações da SEED e a redistribuição de turmas, pois resultarão numa avalanche de salas superlotadas. Com as mudanças que deverão ser implantadas, a escola diminui seu porte, recebe menos fundo rotativo, perde funcionários como os PS's, diretor auxiliar, entre outros.

“Mais uma vez, sem debate, o Estado desrespeita a Lei, passa por cima da resolução 4527/2011, e condena a escolas a terem seu porte rebaixado, reduz diretores e equipe pedagógica, trazendo grande prejuízo aos alunos paranaenses”, destacou.

Um dos relatos recebidos esta semana pelo Deputado Requião Filho aponta que, em uma escola da capital, já são 105 alunos matriculados em apenas uma turma e a SEED não estaria disposta a distribuir estes alunos em mais de uma sala de aula, sob a condição de encaminhar os estudantes excedentes para outras unidades escolares.

“Não podemos admitir que as escolas paranaenses tenham seu trabalho comprometido pelo descaso deste governo. Vamos continuar cobrando para que tenhamos uma educação de qualidade, com condições dignas de trabalho e aprendizado”, alertou o parlamentar.

Da assessoria.
Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :