Escritor usa a tribuna para falar sobre a cultura angolana


O poeta e ensaísta angolano Antônio Antunes da Fonseca usou a tribuna durante a sessão desta terça-feira (12) para falar aos vereadores sobre a sua participação na Festa Literária Internacional de Maringá (Flim) e também sobre a cultura angolana. O convite se deu pelo vereador Mário Verri, através da professora Maria Verginia Gonçalves, responsável pelo Projeto Abrindo Gavetas, que está realizando a exposição “Conexão Brasil/África” no hall de entrada da Câmara.

O escritor ressaltou a importância da troca e valorização cultural entre os países. “O intercâmbio entre instituições culturais, como o projeto Abrindo Gavetas e o Memorial Doutor António Agostinho Neto, permite a construção de pontes pela via da arte e da cultura, fortalecendo os laços entre Brasil e Angola. É uma grande satisfação ser recebido nesta Casa de leis, logo depois de termos participado da Flim desta bela cidade, que abre portas para o contato entre escritores e leitores.”

A professora Maria Verginia destacou a exposição que está sendo feita no hall da Câmara: “Apresentamos um pouco da história do ator, produtor e músico Grande Othelo, tão esquecido neste momento. Também estão expostos tecidos e roupas de vários países da África. Trouxemos o colorido destes países para o hall desta Casa. Convidamos a todos para apreciarem a exposição e destacar que tudo é feito a partir de muita pesquisa.”

O músico Ronaldo Gravino cantou duas canções, uma de sua autoria em homenagem ao ator Grande Othelo e um samba para apresentação da passista Simone Vieira.
Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :