Encantados, visitantes transformam abertura do Natal num evento para a família


A cena se repetia por diversos pontos entre as praças da catedral Nossa Senhora da Glória e a Renato Celidônio, ontem, 15, na abertura da campanha Maringá Encantada. Famílias passeando ou aguardando início das apresentações artísticas. A multidão entrou no clima e se divertiu no Natal maringaense. Assim era com a avó Lucia Mioto, 59 anos, que segurava no colo a neta Maria Lúcia, de apenas 1 ano. A família de sete pessoas mora no Parque das Palmeiras e no Conjunto Paris. Eles chegaram por volta das 16h30 e ficaram na frente do palco assistindo as apresentações artísticas.

No gramado havia até piquenique. Famílias levaram toalhas, colocaram sobre a grama e ficaram juntas curtindo a abertura do Natal. Nem a idade avançada dificultou a diversão. O casal de idosos Matilde Giácomo, 70 anos, e Giácomo Zanister, 77 anos, ficou na área reservada ao lado do palco. Eles são casados há 55 anos e são fãs de Sérgio Reis. O casal está feliz porque no ano passado ela estava doente e não pode ir na abertura do Natal. Eles moram no Conjunto Paulino Filho, tem 2 filhos, 5 netos e 4 bisnetos.

A aposentada Lucia Costim Felix, 70 anos, saiu de casa no Jardim Alvorada sozinha para ver Sérgio Reis na Maringá Encantada. Nem mesmo ficar sozinha tirou a empolgação da aposentada. Ela chegou por volta das 16h e ficou na grade em frente ao palco aguardando pacientemente o começo do espetáculo.

Pai e filha andavam de bike e pararam para fazer selfies na frente da Vila do Papai Noel. Túlio Garcia, 41 anos, e Rebeca Garcia, 8 anos, moram na Vila Operária e elogiaram a Maringá Encantada e suas opções gratuitas de lazer.

Até famílias de outras cidades visitaram Maringá hoje. Como a família de Maria Aparecida Couto, 53 anos. O grupo de seis pessoas chegou por volta das 15h. Literalmente montou acampamento na frente do palco, grudada na grade depois de viajarem aproximadamente 20km para curtir a abertura do Natal em Maringá.

SEGURANÇA - As bases da Guarda Municipal, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros distribuíram pulseiras de identificação para crianças. Os pais levavam seus filhos até as bases e recebiam pulseira com nome da criança, nome do responsável e telefone.

A GM fez um trabalho preventivo e ostensivo na Maringá Encantada. Bases elevadas em diferentes pontos da praça da catedral Nossa Senhora da Glória. Assim agentes tinha uma visão privilegiada da multidão e inibindo supostas ações criminosas. 
A população se divertiu com sensação de segurança. Também havia postos da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e policiamento velado da Polícia Civil. Todo um trabalho integrado das forças de segurança.
Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :