Comunicador ataca professores e mente em programa de rádio

Tabela dos vencimentos dos professores publicado no site da APP- Sindicato.


O radialista Rodrigo Marine, em seu horário na Rádio Igapó FM, se posicionou contrário a greve dos professores de forma mal-educada e grosseira, ofendendo toda a categoria que a anos vem pagando para trabalhar. Só nos governos de Beto Richa e Carlos Massa Ratinho Junior, somado as perdas salarias, ja perderam mais de 20% dos vencimentos; isso sem contabilizar os direitos como licença prêmio.

Ser contrario a um posicionamento de uma classe é um direito de todo brasileiro, e chega a ser saudável para o fortalecimento do processo democrático; mas isso não da o direito de se apegar numa mentira e ofender os funcionários públicos, que a partir do dia 2 de dezembro, vão entrar em greve em todo o Paraná.

O procedimento grevista foi marcado justamente porque o chefe do poder executivo não aceita o diálogo com a categoria.

O embate entre o governo do estado e a categoria só vai acontecer, justamente porque o executivo está irredutível e se recusa a dialogar a respeito de um projeto de lei que o governador do estado, Carlos Massa Ratinho Junior, encaminhou na semana passada, para a Assembleia Legislativa, com o objetivo de diminuir os vencimentos dos professores, aumentar os descontos, alem de prejudicar os estudantes de ensino médio que trabalham durante o dia e estudam a noite, com o fechamento das instituições educacionais no período noturno.
Prova que o radialista recebe salário no gabinete do deputado Felipe Barros e por esse

motivo, ataca os educadores que vão encampar a greve para defender os direitos de uma
aposentadoria justa.

Rodrigo Marine, em seu pronunciamento, usa palavras de baixo calão e mostra que nunca precisou frequentar uma escola para se tornar o que ele é hoje. Aqueles que tem uma formação qualificada, não usa palavras de baixo calão e nem utiliza a mentira para colocar a população contra os professores, que terão os seus direitos cassados por conta das mudanças no setor previdenciário.

Ao atacar os professores que entraram em greve, o radialista com formação precária e se tiver um registro profissional foi feito nas coxas, não diz que ocupa o cargo de secretário parlamentar no gabinete do deputado Filipe Barros(PSL) ganhando mais de R$ 3.000,00 enquanto que um professor, em inicio de carreira, para tolerar uma classe com mais de 40 alunos ganhando um salário mínimo, conforme mostra a tabela da APP- Sindicato.





Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

5 comentários :

vera disse...

Muito triste constatar que um cidadão com vacabulario tão precario e sem conhecimento de causa da realidade da educação pública paranaense nesse momento histórico, possa fazer uso dos meios de comunicação para envenenar a população contra os professores usando mentiras e termos pejorativos sem o mínimo respeito para com os profissionais da educação. Alguém precisa ensinar para esse cidadão que educação é a base para o desenvolvimento de uma sociedade. Mas para quem usa um palavreado nos microfones de uma radio como a Igapó, o que esperar? Educação é algo que certamente ele desconhece. Não sei quem é o chefe desse locutor, mas deveria refletir sobre isso,porque isso pode soar muito negativo para a emissora. Que lástima!

Adriana disse...

Igapó FM que vergonha ter um funcionário tão agressivo e burro, sem noção que assedia moralmente as pessoa....

Rosemary disse...

Fui e sou professora aposentada da rede pública, nunca , nunca mesmo em salas de aulas ou fora delas, ouvimos um vocabulário tão pejorativo e chulo e jamais permitiriamos que um aluno nosso usasse um termo ou termos como o deste locutor...tenho certeza de que ficariam envergonhados... Fazer uma acareação entre as escolas ??? A rádio não checa a fala de seus *ditos* funcionários?? Asinus asinum fricat. A Educação, educadores funcionários país, exigem retratação...

Unknown disse...

Eu, enquanto professora, lamento que essa pessoa tenha estado em uma sala de aula e não aprendido o que significa respeito. Respeito a uma classe que da formação a nossos filhos, respeito aos ouvintes da rádio, que certamente não ligam o rádio para ouvir palavrões. Este cidadão é a prova de que professor não doutrina ninguém, mas ensinam respeito a todos e a todas. Mesmo pq se assim fosse, esse cidadão teria um pouco de educação e vocabulário adequado ao se dirigir ao público. Realmente senhor Rodrigo, o senhor é uma prova do fracasso da educação que recebeu. Eu tenho orgulho dos alunos que passaram por minhas salas de aula, coisa que seus professores não devem estar sentido. Obrigada.

Unknown disse...

👏👏👏👏👏👏pela defesa a nós Professoras e professores, sentimento de gratidão,pelo respeito ao nosso trabalho.Grato