Vereadores apoiam protesto de moradores no Jd. Campos Elíseos


Vereadores da Câmara de Maringá foram ao protesto dos moradores do Jardim Campos Elíseos e bairros próximos, que são contra a instalação de uma unidade de semiliberdade para medidas socioeducativas em um imóvel localizado na esquina da Avenida Tuiuti com a Rua Rio Samambaia.

Acompanhados do ex-vereador maringaense e deputado estadual Do Carmo, os vereadores Mário Verri, Alex Chaves, William Gentil, Chico Caiana, Carlos Mariucci e Flávio Mantovani apoiaram o protesto da população pois entendem que o local para a unidade de semiliberdade é inadequado, por se tratar de um bairro residencial.

O vice-presidente da Câmara, vereador Mário Verri, ressaltou a importância de se ter em Maringá locais apropriados para que haja políticas de ressocialização de jovens infratores. No entanto, diz Verri, o local precisa ser pensado de modo a trazer segurança aos moradores e também aos servidores da unidade.

Com o intermédio do deputado estadual Do Carmo, os vereadores pretendem marcar uma reunião com o governador Ratinho Junior e membros da Secretaria de Segurança Pública do Governo do Estado do Paraná para sugerir que, no local, seja construída uma obra pública que possa prestar algum tipo de serviço à população local.

“Não somos contra a ressocialização, mas entendo que a construção deve ser realizada fora das áreas residenciais”, comentou o vereador William Gentil durante o protesto.

O vereador Alex Chaves explicou que toda a comunidade não está satisfeita com a unidade de semiliberdade naquele local, reivindicação que deve ser levada até o Governo do Estado o mais rápido possível. “Precisamos de segurança pública e de atenção ao Governo paranaense para outros equipamentos no município”, disse.

“Vamos levar a demanda da população e dos vereadores até o Governo do Paraná”, garantiu o deputado Do Carmo.

SEMILIBERDADEO terreno no Jardim Campos Elíseos onde o Governo do Estado pretende instalar uma unidade de semiliberdade foi doado pela Prefeitura de Maringá. A obra tem orçamento que gira em torno de R$ 1,4 milhão. A previsão de entrega é para abril de 2020, e a ordem de serviço para a construção já foi assinada.

Em unidades de semiliberdade o menor de idade infrator tem a obrigação de dormir no local, podendo sair durante o dia para estudar e participar de programas de inserção ao mercado de trabalho. Aos fins de semana, esses jovens também têm direito a ficar na residência dos pais ou de familiares responsáveis.

Atualmente, o Paraná conta com oito casas de semiliberdade espalhadas pelo Estado, sendo duas em Curitiba e uma em Cascavel, Foz do Iguaçu, Londrina, Paranavaí, Ponta Grossa e Umuarama.
Compartilhar por Whatsapp

Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :