Em Maringá, NRE estão lotados de incompetentes

Deputado Estadual Evandro Araujo, responsável pela indicação de Luciano Pereira dos Santos em Maringá.


Em todo o Paraná, os Núcleos Regionais estão enfrentando problema para funcionar. Com a troca de secretário, no início de mandato, foram trocados alguns servidores de áreas estratégicas, a incompetência e a falta de preparo, de quem assumiu a vaga, estão deixando a desejar. A reclamação começa a pipocar por todo lado.

 Ao assumir a educação no estado, o secretário de Educação, Renato Feder, declarou que a chefia dos Núcleos seria decidida por competência. Seria feito uma prova de credenciamento, até sobrar a pessoa mais capaz. Por aqui, não foi o que aconteceu. 

Na Base do Núcleo Regional de Educação de Maringá, teve três pessoas aprovadas e que foram descartadas sem justificativa.

Acabaram com o processo do credenciamento e foi conduzido ao cargo máximo um chefe que não respeita o educador, com o mesmo perfil do secretário de educação Renato Feder; um analfabeto funcional e que não domina a escrita como deveria.

Em Maringá, certamente, houve um número grande de professores na disputa, quem estava qualificado foi convidado a concorrer ao cargo e aceitou o chamado da Secretária de Educação do Estado do Paraná.  

O jogo era de carta marcada para efetivar o então chefe provisório, apadrinhado e indicado por Evandro Araujo, um deputado governista que deseja acabar com o setor educacional para que o governo tenha mais tranquilidade em privatizar o setor para a iniciativa privada.

Com a indicação de Luciano Pereira dos Santos, o deputado estadual Evandro Araújo, conforme dito pelo atual chefe do Núcleo Regional de Educação, estaria quitando o apoio que foi hipotecado na última eleição para deputado estadual.

Quando o Evandro Araújo percebeu que o seu indicado para a chefia provisória não poderia concorrer a vaga, em conluio com o secretário Renato Feder, por estar enrolado em questionamentos judiciais, na maioria movidas pela própria Secretária Educação Estadual, o deputado Evandro Araújo começou a articular um golpe para indicar Luciano Pereira dos Santos.

Ele foi condenado por assédio moral em processos movidos por professoras que foram subordinadas no Colégio Estadual Helena Kolodi em Sarandi.

Com o golpe em curso, o deputado estadual Evandro Araújo foi capaz de embargar o credenciamento, mantendo um assediador e hipócrita a frente do Núcleo Regional de Maringá.

O estranho é que a competência para indicar o comando do órgão em Maringá, nas outras administrações, sempre ficou a cargo de um deputado que residia em Maringá e dessa vez, a indicação ficou na responsabilidade e Evandro Araújo, que tem o seu domicílio eleitoral fora de Maringá.

Por esse motivo, os professores e os funcionários públicos, que atuam nas escolas estaduais, estão à procura do deputado estadual Evandro Araújo, para cobrar uma atitude.

A conversa é que ele tem dito por onde passa, que não tem o compromisso da indicação e nem da permanência de Luciano Pereira dos Santos a frente do terceiro núcleo mais importante do estado. Será?

A falta de competência e de zelo pela função, de quem assumiu pontos chaves, como exemplo a educação infantil, não sabe responder os questionamentos e solicita a pessoa que precisa de informação, para ligar para quem ocupava o cargo, não tem o conhecimento e nem tem competência para orientar a pessoa. “Vou lhe passar o telefone da pessoa que ocupava essa vaga e ela tem todas as informações.” Incompetência total. 

O caso de uma outra professora, que atuou no Núcleo Regional de Educação de Maringá, até o inicio desse ano, é incomodada constantemente para prestar esclarecimentos sobre coisas do órgão, sendo que ela não tem mais obrigação; desde em que o chefe do núcleo de Maringá, Luciano Pereira dos Santos, disse que, “não precisamos mais do seu trabalho.”

Agora se os incompetentes que assumiram a função das duas pessoas não são capazes de informar, é melhor pedir para sair e fazer outra coisa.

É necessário cortar o mau pela raiz e da mesma forma que os educadores paraenses estão gritando FORA FEDER, é o momento de completar, “e leve os incompetentes que foram espalhados pelos núcleos regionais do Paraná”.
Fora Feder, fora Luciano e fora incompetente.

Compartilhar por Whatsapp

About Julio Take

Júlio Take, nasceu em Maringá-Paraná em 1967. Teve a primeira experiência profissinal em 1986, no O Jornal de Maringá. após essa primeira experiencia, trabalhou um tempo em Cascavel e Foz do Iguaçu. Após alguns anos militando na imprensa da região oeste do estado do Paraná, foi convidado a integrar a equipe da Agência de Notícias News.

0 comentários :